Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

a patrícia põe ordinarões e fufas no lugar e o dr pacheco pereira aplaude de pé

Afiançando nada saber da 'tempestade' que desencadeou na blogosfera, a Patrícia Lança -- a mesma que a 1 de Julho afiançava 'não voltar ao assunto' devido a uma tal de 'tempestade de imundície verbal' que teria ocorrido -- diz ter, finalmente, feito uma busca pelo seu nome no google e descoberto as reacções as suas afirmações. Reagindo então (pela enésima vez, mas pronto, há coisas que merecem ajustamentos), às reacções. Manifestando-se desagradada com 'os idiotas e malcriados' de 'linguagem ordinária' que a comentaram, a Patrícia, que garante não ser 'dondoca', faz contas ao tempo que nos falta a todos para ter o mesmo tempo que ela. E afiança mesmo que andou a pesquisar piolhos e outras maleitas da promiscuidade e da falta de higiene aos 19 anos, enquanto membro do esforço de guerra e resistência dos britânicos contra os nazis, tendo tido até, também, de dar conselhos sobre os perigos de contactos sexuais 'promíscuos'.

Percebe-se do contexto que a Patrícia está a usar aquilo que considera serem argumentos de autoridade: é muito mais velha que as pessoas que a criticaram e já se preocupava com a promiscuidade sexual muitos anos antes de nós existirmos, tendo até tido que, nessa época, inspeccionar corpos, talvez até, homessa, quase despidos, de gente desconhecida, o que deverá ser lido como sinal indesmentível de grande desempoeiramento e sofisticação. Ao mesmo tempo, a Patrícia faz questão de responder ao Miguel Vale de Almeida. Com altivez, garante que não há motivo algum para o Miguel se congratular com o facto de ela, na sua idade, ser tão activa a escrever na blogosfera. Nada há de extraordinário nisso -- só em Portugal, diz a Patrícia, é que tal seria alvo de espanto. Porque somos irremediavelmente provincianos e atrasados e não nascemos, como a Patrícia, no estrangeiro de fora. Nada há então, garante a Patrícia, de admirável no facto de, na sua idade, ter blogues. Quem se admirar com isso é parolo (naturalmente, 'lá fora' é só octogenários na bloga). Temos é de a admirar por ter 82 anos e vivido muito mais que nós. E por já estar alerta há tanto tempo para os perigos da sexualidade 'promíscua' e para a problemática dos piolhos. Tão alerta tão alerta está a Patrícia e tanta experiência tem da vida, que não tem dúvidas sobre a natureza dos seus detractores. Parolos e ordinarões, como já vimos. Mas há mais: 'Uma nota especial para as senhoras com gostos exóticos que também se manifestaram na recente polémica: naturalmente havia também dessas na tropa feminina e eu, pela forçada convivência com elas, aprendi a ter alguma pena da sua deficiência. Isto é, pena, enquanto não tentassem aliciar as mais desprotegidas' Trememos só de pensar como reagiria a brava Patrícia perante esses tenebrosos aliciamentos. Metia alcatrão e penas, Patrícia? Ou era só chicoteamento público? Afinal, nessa época, Patrícia, os comportamentos homossexuais ainda eram crime -- na Grã-Bretanha como em Portugal como na generalidade do mundo. Admite-se então que tenha podido chamar a polícia de costumes e dado às exóticas deficientes o tratamento que mereciam. Bons tempos, Patrícia, antes de o mundo ter relegado essa criminalização para os países onde se lapidam pessoas pelas suas escolhas sexuais e amorosas -- os mesmos países que a Patrícia tão justamente ataca pela sua intolerância noutras matérias. Mas, cara Patrícia, nada disto em si me surpreende, lamento dizer. Não pela idade que tem -- afinal, conheço muita gente da sua idade com ideias muito menos anquilosadas -- mas porque já se tinha percebido como funciona a sua cabeça. Agradece-se mais esta tão eloquente e elevada clarificação, claro. Mas mais mas muito mais o facto de esta sua 'resposta' ter permitido ao Dr Pacheco Pereira abandonar a sua reserva majestática e entrar na polémica aos bravos por si, ramo de rosas rubras (ou, pensando melhor, talvez de outra cor) ao alto. Isso sim, é verdadeiramente surpreendente -- mas deve ser para mim, que não tendo nem 82 nem sequer cinquenta anos e, confesso, nenhum passado revolucionário adolescente (ou tardo-adolescente) para decantar e redimir, de vez em quando ainda dou comigo a surpreender-me com os 'lados' que as pessoas escolhem. Numa coisa, pelo menos nessa, temos de dar razão (e agradecer) à Patrícia: não há como remexer um bocado as águas para ver o lixo vir à superfície. Ah, e já quase me esquecia, Patrícia. Não tem que agradecer a publicidade aos seus blogues. Garanto-lhe que foi um prazer (acreditava já o ter tornado claro), embora decerto parco se comparado com o exótico prazer que seria conhecê-la.

50 comentários

Comentar post

Pág. 1/5

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Pode dar mais detalhes?

  • Paulo Pinto

    por acaso, a expressão do "saber só de experiência...

  • Luís Lavoura

    o melhor método que temos à nossa disposição para ...

  • Luís Lavoura

    É preciso um certo cuidado, pois o facto de algo n...

  • Filipe Gomes

    O problema das medicinas alternativas é o facto de...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media