Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jugular

Pode, claro que pode JMT

Claro que um psicólogo pode ser católico - e mais tudo o que ele quiser ou puder, até parvo -, dá-se o caso de, quando assume posições públicas como psicólogo, ter de saber... psicologia, independentemente do que o seu credo defende, ou da interpretação que faz daquilo que o seu credo defende. Portanto, João Miguel Tavares, a questão não é um psicólogo não poder ser católico mas antes um católico que é psicólogo ter de saber psicologia. Capice?

 

Alguém informe aí o JMT, por favor, acredito que informado, em sendo esclarecido, não dirá disparates. E digam-lhe, também, que um psicólogo (que não seja assassino) não mata, mas pode deixar morrer.

 

Adenda: E mais, um psicólogo, mesmo sendo católico (ou ateu, ou outra porra qualquer), está obrigado a preceitos deontológicos.

...

 

 

Capturar 3.PNG

Reproduzo aqui a imagem deste post do Zé Lopes Guerreiro no Alvitrando, um blog de Beja.

Sem mais comentários, quero apenas agradecer ao Zé Lopes Guerreiro.

just kidding?

Comentar a vitória de Trump já vem tarde, já toda a gente o fez, já quase tudo foi dito e escrito em rescaldo e reflexão. Já vi anunciado o apocalipse e já li comentários de apelos à calma. Gostava muito de acreditar nestes últimos, tanto nos sensatos como nos tolos, que dizem que tudo não passou de uma estratégia eleitoral, de um golpe genial, que o candidato não será o presidente, que Trump apenas disse uns dislates e que rapidamente "assentará" perante o peso da responsabilidade inerente ao cargo, o Partido Republicano e os mecanismos da democracia americana. Prova? o discurso de vitória. "ah lá está, estão a ver?". Estou a ver o Luís Delgado, na SIC Notícias, a dizer isso mesmo.

Era tudo a brincar, portanto? Não creio.

1. a mensagem. Trump ganhou porque apelou aos sentimentos mais egoístas, nacionalistas e intolerantes de cada eleitor. Egoísmo, nacionalismo e intolerância: os interesses da América acima de tudo, a América que faz os aliados pagar pela sua proteção, a América que não aceita desvios, a América da Lei e da Ordem. A América só, contra tudo e contra todos, se necessário. Se alguém acredita que Trump irá tornar-se subitamente adepto do multilateralismo, das parcerias geostratégicas, das parcerias para a paz, gabo-lhe o otimismo, que afigura-se-me próximo do delírio. À primeira crise internacional se verá.

2. o descrédito da democracia. Em primeiro lugar, das duas, uma: ou Trump faz o que prometeu ou não. Esta é má, a primeira é pior. Em qualquer dos casos, será o descalabro da democracia como a conhecemos. Se não cumpre o que prometeu, então estamos perante a farsa mais dramática da nossa era: doravante passará a fazer escola e tornar-se-á receita de sucesso eleitoral o uso extremo da promessa bombástica, populista, ridícula, xenófoba ou irrealista. Se cumpre, bem, então estamos todos condenados. Em segundo lugar, a competência, a prática, o conhecimento e a preparação política deixaram de ser qualidades e passaram a ser defeitos. Quanto mais impreparado, bronco, estúpido e reconhecidamente mentiroso for um candidato, mais presidenciável será.

3. o mimetismo. Desprezar os estrangeiros, as diferenças, a inteligência e os Direitos Humanos era algo envolto em vergonha e desaprovação social. Já não é. Foi dada licença para a discriminação aberta e às claras, para o menosprezo pelas mulheres, para o renascimento da hostilidade contra imigrantes, afroamericanos, latinos, não-cristãos. Está lançado o apelo aos ataques racistas, homofóbicos ou misóginos, alicerçado na ignorância, no preconceito e na estupidez mais elementar. Como parte do mundo imita o que América faz, o exemplo vai proliferar; e como a restante parte, pelo contrário, se tornará inevitavelmente mais anti-americano, estamos conversados sobre o que aguarda o mundo nos tempos próximos.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Paulo Pinto

    (aliás, e passe a imodéstia, foi essa a minha prin...

  • Paulo Pinto

    Sim, concordo. E a Inquisição continua a ser um do...

  • Pinto

    Nada disso. A minha opinião é exactamente essa. O ...

  • Paulo Pinto

    pois, essa é uma das questões. Não vejo qualquer u...

  • Pinto

    Concordo que os assuntos devam ser debatidos. O ar...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media