Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

tranquilamente

Fevereiro de 2009, Braga. A PSP apreende, por "obscenos e pornográficos", livros com a imagem de um sexo feminino na capa. O facto faz parangonas; não há bicho-careta que não entoe loas à liberdade de expressão - então, como até recentemente, promovida a desígnio nacional (Madeira excluída, claro). É que a capa dos livros é A Origem do Mundo, óleo de 1866 do francês Courbet cuja primeira exibição pública só ocorreu em 1988, tal o seu potencial escandaloso. É pois de "uma obra de arte" que se trata; como podiam os polícias confundi-la com pornografia? Isso mesmo diz o juiz que avalia o caso. Já o editor e escritor Francisco José Viegas opina: "uma patrulha não tem de perceber de arte, e diante daquela exibição das coxas abertas e do sexo de uma mulher, os agentes viram pornografia pura e trataram de defender a moral pública (...) Parece que isso está nas suas atribuições, se bem que os bracarenses saibam distinguir uma página da Gina de uma pintura de Courbet, o amigo de Proudhon e de Baudelaire. A arte tem destas coisas(...) Há gente que vê sexo em tudo. Em cada moralista há um tarado profissional."

 

Esta semana, o artista plástico João Pedro Vale vê cancelada a exposição que devia inaugurar a 2 de Setembro na Tranquilidade Seguros, do Grupo Espírito Santo. Ao tomar conhecimento das peças a expor, que incluíam imagens fálicas e palavras de ordem como "legalizem o sexo anal" e "a sida está a matar os artistas, a homofobia está a matar a arte", o representante da seguradora terá perguntado a Vale "se não queria mudar para uma temática que tivesse mais a ver com os valores tradicionais da empresa". Perante a recusa, informou-o de que a exposição não era aceite.

 

Não, não é inédito no Portugal democrático. Em 2005, no Museu Grão Vasco, uma exposição com imagens de nus e alusões à homofobia foi alvo de uma intervenção "suavizadora" da direcção do museu, que foi acusada de censura. E há o caso Saramago: em 1992, Sousa Lara, secretário de Estado da Cultura, vetou a participação do Evangelho segundo Jesus Cristo num prémio literário europeu, por "atacar princípios que têm a ver com o património religioso dos portugueses".

 

Com Vale, a censura advém de uma empresa privada. Um privado pode decerto decidir o que expõe, mas, e descontando a hilariante invocação de "valores tradicionais" da seguradora (além do de fazer dinheiro, quais?), será sempre intolerável que a administração de um espaço expositivo diga a um artista convidado o que deve e não deve fazer. Há, porém, quem ache que tudo depende. Caso de Viegas, que em secretário de Estado da Cultura diz desconhecer "pormenores" e não comenta: "É um contrato entre um artista e um mecenas." Pelos vistos, o moralismo só é uma tara na PSP; na Tranquilidade é tranquilo até "não perceber de arte". Porque o sexo em vez de ser de mulher é de homem?, porque o artista, em vez de francês morto, é português vivo?, ou porque. Ah, a arte. Tem destas coisas.

 

(publicado hoje no dn)

 

adenda: a tranquilidade fez ontem um comunicado sobre o assunto.

38 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Pode dar mais detalhes?

  • Paulo Pinto

    por acaso, a expressão do "saber só de experiência...

  • Luís Lavoura

    o melhor método que temos à nossa disposição para ...

  • Luís Lavoura

    É preciso um certo cuidado, pois o facto de algo n...

  • Filipe Gomes

    O problema das medicinas alternativas é o facto de...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media