Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

"Vitímas de violência doméstica "culpadas" em tribunal"

É o título da noticia do i que dá conta de um trabalho de Madalena Duarte, investigadora do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra. Tentei descobrir o trabalho e encontrei um artigo da autora, provavelmente parte da investigação que o jornal refere - Violência doméstica e sua criminalização em Portugal: obstáculos à aplicação da lei", Sistema Penal & Violência, Porto Alegre, v. 3, n. 2, p. 1-12, jul./dez. 2011.

 

Uma das citações presentes no artigo é a que se segue: "Posso dizer-lhe que 90% das queixas de violência doméstica que aqui chegam são falsas. São mulheres que usam o processo-crime para os casos de divórcio, de regulação das responsabilidades parentais e que não são realmente situações de violência doméstica. (…) Então quando chega aqui uma senhora, com o seu próprio advogado, sem ser oficioso, com um discurso muito articulado, que sabe muito bem o que dizer e o que quer, desconfio logo. (Magistrada do Ministério Público, entrevista pessoal)" (sublinhados meus). Para falar verdade não me espantou, era algo de que já suspeitava, mas lido preto no branco não deixou de me impressionar. Para além de uma absoluta ignorância, está mais que provado que a VD não escolhe classes socioeconómicas, mostra como não ser desgraçada à partida pode ser uma menos valia perante a justiça. Que tristeza, senhora magistrada. Se algum dia passar por uma situação parecida não se esqueça de beber uns copos antes de se apresentar em tribunal, é desarticulação do discurso pela certa e nunca se sabe se irá encontrar pela frente uma besta preconceituosa parecida consigo.

45 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Ana Matos Pires

    1. Da próxima vez que for a um médico em vez de um...

  • Pinto

    O seu problema é não perceber nada de Direito. As ...

  • Alexandre Camões Barbosa

    Caro ou cara comentador ou comentadora, há-de cont...

  • TAiresMat

    Só uma achega: salvo erro, no seu curto texto (em ...

  • TAiresMat

    Eu não tenho dúvidas de que V. Exa. seja um bom mé...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media