Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

jugular

chronicas da Terra Sancta -2

Perdoeme V.S. por perturbar as oraçõoes em que q. esta absorto por estar oje o Sancto Padre em nossa terra rezaaando muyto per a salvaçam de nossas almas portuguezas ē Fatima cõ ayuda destes nouos mininos Sanctos bucollicos q. estãdo em seu pastoreo de cabras uiram N. Sra. Mãi de Jesu pousada ē ũa azinheyra que he decerto millagroza Graça e proua que tem Deos Portugal en especiall consideraçam e agrado como sempre teue. Bem q. por aquy precisaua de hum pouco dessa Fee grandioza q. aquy nom ha q. som todos hebreos e algũs mouros cõmo escreui ha dias se a V.S. aprouue leer e diguo q. os padres do Sancto Offiçyo teriã aquy infindos seruiços a fazeer e nom teriam mãos a medir. Ainda mays q. hoje he sabado e sendo terra de iudeos he dia sancto pera elles e ho guardam e tudo estaa cerrado e nã se ue jente mays que ũa pouca en as ruas. E ysto nã sey se he por deuoçam religioza e se estam todos en seus templlos rezando - pois la non entrey - ou se he dessimulaçam e fingen que uan mas pollo contrayro toman estes dias pera folgar como fazen muitos maos christãaos en Portuguall. Ontem descobry ũa tauerna onde me disserã q. estaa aberta hoje e irey laa daquy a poucoo e pensei loguo que taluez fosse de christãaos mas achey milhor nam preguntar.

Algũus doctos dizē q. ha primeyra impressam de hũa terra he a mays valerosa por seer empreuista e nom acordada mas he mester dizer q. por uezes assi nom he como aguora digo q. as jentes nom sam tam sezudas como fuy leuado a creer ab initio pois algũas o sam en contrayro. Ha dyas hũas señoras iudias portuguesas de provecta edade q. me estauã ouuyndo me desseram q. eu parecya hebreo como ellas e q. quasy era assi sē deferença algũa e creiame V.S. q. fiquey temendo per minha sorte quãdo regressar ha conta do Sancto Officio posto que creo foy cortezia e deseio de agrado somēte e nada mays Deos queyra.

He esta terraa mui suspeitosa de guerra e temerosa dos imiguos tudo he vysto assim bagages e alforges quãdo se entra ē todo lado casas e lojas igualmēte e nos preguntã quē somos e querē ueer papeys as uezes posto q. outras nom. Quãdo cheguey estauua tudo cheo de ũas bandeirynhas aluas cõ a estrella de Davi no meo azul q sam as armas desta naçam e me disserom que era por seer dia de celebraçam e hiam as carruagēs todas cõ ellas ao uento. A primeyra impressam q. tiue foy q. esta jente he mui uaidosa e soberba e pouco humilde pois tudo na uniuersidade tē nome de gente casas e partes dellas e jardins - todos mui cuydados e cheos de melros e fllores - posto q. me disserom q. he pera ficarē grauadas suas bēfectoryas q. fizerã e nam se perder seu nome e memoria q. cõcedo he cousa louuavel e pena q. nom se faça en Portugal e os nossos Portuguezes nom liguarē nē prezarē as cousas da Historia e memoria como estes fazen. Gatos ha muytos e por todo llado mas nom sey porque.

A uida aquy he cara como nũca uy e tudo custa os olhos da cãra nam sey se he per a naturall enclinaçam usuraria desta jente se he por outra rezom, quiçã pelas despezas que custã tantos soldados nam sey e nam conseguy aueriguar. E as fructas sam bõas posto que os figos da Índia sam entreuados e as alfaces mui rijas - rijaas como os cornuos das mãais delles, como diria a minha auoo q. Deos tem - e comidas pellas lagartas. E o pam he bom e ũa comida chamada humus mui bõa tambē, posto q. da uolta as tripas as uezes e ha hum sitio que ha seruen bē e nã cara e ha dias nam percebi ho q. me disserã en acabãdo e estando cheo disse q. sim e me trouxerã mays e me uoltaran a encher o prato per cortezia e fiquey de papo pleno quasy em rebētando como hũ nababo.

Não incomodo mays V.S. en V. oraçoēs em comungãdo cõ o Sancto Padre q. he ocasiam propicia he muyto neçessarya per os gramdes desvaryos deste Mundo e nossos pecados q. aquy mais perto da Terra Santa tambem ficarey segũdo minhas pobres abilidades e condiçam. E peçouos apenas q. me ynformeis segũdo V. conueniencya e ē tēpo q. uos aprouuer notiçias dos folguedos q. sey se esperam en breue em Portugal en rezon do Bēfica e de D. Xpo. Sobrãll.

Desta cydade de Thelauiv, 13 de mayo anno dezessete,

de seu fyel seruidor,

PP

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Ana Matos Pires

    PS: só um avivar de memória http://jugular.blogs.s...

  • Pinto

    Filipe, muito rapidamente. Eu não estou a discutir...

  • Filipe Gomes

    (1) "A palavra consenso refere-se a uma conformida...

  • Pinto

    A palavra consenso refere-se a uma conformidade de...

  • Filipe Gomes

    (1)"O resultado dessa votação não foi unânime. Por...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media