Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

de como a verdade pode vir da boca de um secretário de estado alucinado -- ou como pelo tuite se lombam os maçães

o twitter do secretário de estado bruno maçães já se tornou um must -- pese embora o pequeno problema de o governante bloquear toda a gente que o interpela sobre o que diz (incluindo esta vossa criada). e diz, como já sabemos, coisas fascinantes, como 'todos os dias nos lembramos do quanto 35 anos de hegemonia socialista em portugal prejudicou o país. felizmente agora podemos dizer que esses dias acabaram'. 

 

há 8 dias, o moço dizia que 'portugal está no caminho de repetir a bem sucedida conversão da alemanha de 'doente da europa' em competitivo campeão do crescimento' e que 'a alemanha em 2003/2005 e portugal 2011-2013 os melhores dois exemplos de reformas estruturais bem sucedidas':

 

e, num tuite que retuitei há pouco, afirmava: 'por que haveria alguém confiar nos partidos socialistas responsáveis pela maior crise desde os anos 30?':

 

portanto, segundo este membro do governo português, a maior crise desde a grande depressão causada pelo crash da bolsa de nova iorque em 1929 foi causada 'pelos partidos socialistas' -- os tais que mandaram em portugal nos últimos 35 anos -- e não, como gente estúpida em todo o mundo poderia ser levada a crer, pelo crash de 2007/2008 -- de novo -- na banca americana, com a falência do lehman brothers

 

mas o melhor são talvez dois tuites de hoje, em que o insuperável maçães nos explica que 'as trasferências sociais foram muito mais eficientes na redução do risco de pobreza em 2012 que em 2010' e que, portanto (?) 'é de enorme importância ver como o estado social em portugal se tornou mais e não menos eficiente durante a crise'.

 

nem nos vamos deter no facto de, como já todos os especialistas apontaram, e o próprio ine frisou, tendo o limiar de pobreza definido descido contabilisticamente devido ao facto de os rendimentos médios terem descido, ou seja, o valor fronteira para o risco de pobreza estar desde 2011 mais baixo do que era em 2009, menos pessoas ficam, artificialmente, 'acima' do limiar em 2012 do que estavam em 2010. isto é a (já) normal ultilização desonesta das estatísticas, tanto mais desonesta e escandalosa quando a severidade da pobreza aumentou brutalmente nos últimos dois anos.

 

vamos só reparar em que maçães, nesta sequência de tuites em que como portas na sexta feira no parlamento tenta provar que o seu governo fez mais pelos pobres cortando-lhes o rendimento social de inserção e o complemento solidário para idosos e empobrecendo voluntariamente o país com austeridade selvagem que o governo anterior (que por exemplo criou o csi), acaba por afirmar que a crise corresponde, não já, como afirmara antes, ao 'reinado' (?) 'dos partidos socialistas', mas ao período do seu governo. se crise é 2012 e não 2010 (quando começa, na sequência da crise económica e financeira mundial, a crise das dívidas soberanas na europa), então crise é o governo psd/cds-pp. 

 

a verdade sai da boca das crianças, costuma-se dizer. parece que mesmo das alucinadas.  

 

 

 

 

 

 

6 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Pode dar mais detalhes?

  • Paulo Pinto

    por acaso, a expressão do "saber só de experiência...

  • Luís Lavoura

    o melhor método que temos à nossa disposição para ...

  • Luís Lavoura

    É preciso um certo cuidado, pois o facto de algo n...

  • Filipe Gomes

    O problema das medicinas alternativas é o facto de...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media