Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

o novo rumo do ps, segundo proença: memofante*, e em força -- que vergonha ainda não se vende na farmácia

'De 2011 a 2013 houve um período de afirmação do PS, de um partido que saiu derrotado das eleições com o pior resultado de sempre.'

 

por 'o pior resultado de sempre', supõe-se, joão proença refere-se ao pior resultado de sempre do seu partido, aquele onde milita pelo menos desde os anos 80 do século passado e pelo qual foi até eleito deputado 1987 e 1995, portanto nas eleições de 1987 e 1991. o homem deve saber, caramba, além disso, caramba, é da direcção actual, como o foi entre 1993 e 1995, e não passa pela cabeça de ninguém que, caramba, voluntariamente enganasse as pessoas em relação aos resultados do seu partido -- caramba. 

 

é só por descargo de consciência, pois, que vamos certificar se sócrates teve mesmo 'a pior derrota de sempre do ps', em 2011.

 

vejamos por exemplo no site do ps. há uma página que nos permite consultar todos os resultados do partido em legislativas desde 1975. mas por qualquer motivo, que diacho, só se consegue consultar o resultado de 2011. 

 

teremos de tentar noutro lado, então. experimentemos na pordata, por exemplo. e que descobrimos?

 

1975 40,7%

1976 36,7%

1979 28,2%

1980 27,8% (FRS)

1983 37,3%

1985 21,4%

1987 22,8%

1991 29,8%

1995 44,7%

1999 44,9%

2002 38,6%

2005 46,4%

2009 37,7%

2011 29,2%

 

ou seja: em 1979, 1980, 1985 e 1987 o ps teve menos percentagem de votos que em 2011. a maior derrota de sempre foi aliás em 1985, com 21,4%. em 1987, quando proença foi eleito deputado, a votação do ps foi de 22,8% (pelos vistos, proença não reparou). e em 1991, nas eleições seguintes, em que foi de novo eleito, teve pouco mais que em 2011: 0,6% mais, precisamente. mas proença não se lembra. varreu-se-lhe tudo. coitado. será que se pega?

 

se fosse à direcção do ps comprava umas toneladas de memofante. ou vergonha, mas é mais difícil de encontrar à venda. 

 

 

nota: alegremo-nos. dando-se o caso de aparentemente a direcção do ps ter estreitas relações com as farmácias, pode ter desconto no medicamento*.

 

 

18 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Anónimo

    Pode dar mais detalhes?

  • Paulo Pinto

    por acaso, a expressão do "saber só de experiência...

  • Luís Lavoura

    o melhor método que temos à nossa disposição para ...

  • Luís Lavoura

    É preciso um certo cuidado, pois o facto de algo n...

  • Filipe Gomes

    O problema das medicinas alternativas é o facto de...

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D

Links

blogs

media