Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jugular

Cretinices

Um pastor norte-americano pretende criar um site nacional onde sejam divulgados os ateístas. Porquê? Porque, de acordo com o devoto pastor, se já existe o National Registrys para "convicted sex offenders , ex-convicts , terrorist cells , hate groups like the KKK , skinheads , radical Islamists , etc.." por todas as razões e mais algumas deve haver algo análogo para os ateus. E as mais algumas são, claro, a proselitização e, se isso não resultar, o boicote dos negócios dos aliados do mafarrico.

Enfim, nada inesperado num crétin.

E depois da Primavera, o Verão ou o Outono da revolução egipcia?

A esfinge: o mesmo destino dos Budas de Bamiyan?

 

Nos últimos meses, extremistas salafi devotaram-se a "purificar" o Egipto da imagética religiosa não islâmica, atacando, para além de locais de culto cristãos e sufis, os vestígios da "cultura podre", como se referiu o porta-voz da Al-Dawa Al-Salafya (Salafist's Call) às pirâmides, esfinge e demais templos faraónicos.

 

Perryshittery

O verão passado, o Texas de Rick Perry, o devoto dominionista que é candidato às primárias nos EUA, resolveu devotar 4.4 milhões de dólares a educação sexual para adolescentes. Fantástico dir-se-ia, finalmente o Texas, que tem a maior taxa de mães adolescentes nos EUA, o país ocidental com a maior taxa de gravidez adolescente, resolveu deitar mãos à obra. Mas não, como este vídeo confirma, o que passa por educação sexual no Texas é simplesmente educação na religião do governador, em que "shaming and fear-based instruction are standard means of teaching students about sexuality," e, em algumas das escolas públicas do estado, estudo da Bíblia.

 

Mas enfim, não se poderia esperar muito mais do governador tão bat shit crazy religious nuts que convoca 3 dias de rezas para acabar com a seca mas considera a ciência um culto secular, e, em termos de cultos, tão, mas tão inferior ao seu*, que gostaria de ver abolido nas escolas públicas o ensino de cálculo, economia, física, química e biologia e de substituir arte e literatura por estudos bíblicos. Para além disso, o seu «goal is to establish affordable fundamentalist Christian learning and cultural centers that would serve as an alternative to public schools.»

 

*Ops, a partir daqui é um Poe, muito plausível mas um Poe.

 

Falta de ética

O reverendo Fred Nile, lider do Partido Democrata Cristão da Nova Gales do Sul,  tentou chantagear o governo regional indicando que chumbaria a legislação que este pretende passar a menos que se acabasse de vez com as aulas de ética que tanto desagradam aos líderes religiosos deste estado australiano. E digo tentou porque os protestos foram tantos que Barry O´Farrell, o PM do estado, informou ontem que não tenciona ceder à chantagem do reverendo.

 

Há cerca de  cem mil crianças nas escolas primárias do Estado cujos pais recusam as aulas de  «educação religiosa especial» (SRE). As aulas de ética tiveram início o ano passado em 10 escolas e este ano abrangem 128 escolas e cerca de 2700 alunos. Mas para o reverendo Fred Nile, as opções e vontade dos pais são irrelevantes, o que interessa é que as aulas de ética são uma ameaça à doutrinação obrigatória na sua fé das crianças. 

 

No dia 1 de Agosto, uma criança de 11 anos explicou ao reverendo porque razão deve manter a sua política, e a sua religião, fora das salas de aulas. Em particular deu-lhe uma lição de ética que, suspeito, passará completamente ao lado do piedoso reverendo. Charlie Fine escreveu no seu op-ed: «By all means, Mr Nile, you go out and be as Christian as you want; I respect that entirely. But that does not give you and your supporters the right to attempt to shape a future generation of adults in your mould - that is a religious conservative.» 

 

E passará completamente ao lado porque, ao mesmo tempo que exigem estridentemente respeito pelas suas crenças, respeito pelas opções alheias é algo que nem sequer passa pela cabeça dos cristãos mais fanáticos, tanto na Austrália como por cá. E, tanto por lá como por cá, consideram que é perfeitamente ético fazer reféns políticos, 100 mil crianças ou quem for preciso,  para impingir a sua religião a todos.

E entretanto na Irlanda

No dia 13 de Julho foi divulgado mais um relatório sobre abuso sexual de menores na Irlanda, leia-se por padres, o relatório Cloyne . Em mais uma investigação sem a prometida colaboração da Igreja, foi descoberto o óbvio: contrariamente ao que prometeu e ao que o Estado irlandês obriga pelo menos desde os relatórios Ryan e  Murphy,  este último a revelar o abuso endémico de menores em instituições católicas, o Vaticano continuou a encorajar os seus bispos a encobrir os casos de abuso sexual de menores, tão recentemente como há 3 anos.

 

O estado de negação da direita religiosa strikes again

Depois de Stephen Colbert, é a vez de Jon Stewart se divertir com as reacções da direita religiosa* aos bárbaros ataques terroristas na Noruega.

 

*Mais uma vez, e porque por muito que o repita as reacções pavlovianas parece que são inevitáveis, reitero que não considero a barbárie que aconteceu um atentado do terrorismo cristão. Tal como Susan Jacoby, considero que «What is fair to say about Breivik is not that he is a “Christian terrorist” but that he is a terrorist for whom Christianity, coupled with worship of the white European ubermensch, plays a vital symbolic and ideological role.»

A ameaça bem real do fundamentalismo cristão

 

Numa entrevista na MSNBC na segunda-feira, uma das estrelas do Tea Party, o fundamentalista cristão eleito para o Senado pelo Utah, Mike Lee, admitiu que estão a usar a ameaça de um default catastrófico, numa altura em que estruturas vitais do país começam a falhar por falta de dinheiro, para obrigar a escrita de uma Constituição divinamente inspirada que force para todo o sempre uma teocracia nos EUA.

Virgens ofendidas ou o verdadeiro escocês

Não deixa de ser divertido ver um dos maiores pregadores de ódio (cristão) da Faux News reagir, como reagem tantos em tantos lados, ao massacre na Noruega.

O manifesto da supremacia cristã

Perante a estupefacção geral, o advogado do terrorista que tentou intimidar a Noruega informa-nos que o seu cliente classificou os seus actos, a que chama execuções de marxistas culturais e traidores multiculturalistas,  como horríveis mas necessários. Talvez por considerar as barbaridades que cometeu uma lição tão necessária que só tardava, os relatos das testemunhas das atrocidades na ilha indiquem que estava  «jubilante e a gritar vitoriosamente» enquanto assassinava crianças e adolescentes. 

 

O manifesto de 1516 páginas, que preparou durante anos e terminou pouco antes dos atentados, assim como o manifesto em vídeo, explica com muito detalhe por que razão considerou necessário matar crianças e adolescentes indiscriminadamente. Ambos são manifestos da supremacia cristã e da islamofobia, algo que é claro ao longo do (repugnante) texto mas também neste wordle de Jarret Brachman e na própria capa do manifesto da suposta declaração de independência.

O terror do fundamentalismo indeed

(imagem roubada ao CC)

Na BBC, ouço que Anders Behring Breivik, um norueguês, louro e de olhos azuis, com ligações de facto a grupos fundamentalistas mas cristãos (e à extrema direita nacionalista), foi acusado de ambos os atentados terroristas que ontem abalaram o país nórdico. Vou esperar para ver as manchetes dos media, de que estes dois são apenas exemplo, que imediatamente e sem qualquer confirmação ulularam terrorismo islâmico. Mas estou certa que nunca irei ler nada parecido com terrorismo cristão**. E, já agora, quero ver se o PM norueguês tem a coragem do seu congénere irlandês* e mantém o recado.

 

* Enda Kenny, sem medo de afrontar a religião dominante do seu país, a propósito de mais um escândalo, muito recente, de abuso sexual de menores, chamou os bois pelos nomes e proferiu no Parlamento «The Cloyne report excavates the dysfunction, the disconnection, the elitism that dominate the culture of the Vatican today. The rape and torture of children were downplayed, and managed to uphold instead the primacy of the institution, its power, its standing and its reputation.»

 

** depois de escrever o post, descobri o Suspeito detido é um “fundamentalista cristão”  no Público. Os comentários são um must :)

 

Adenda: Melhor que eu, o "The omnipotence of Al Qaeda and meaninglessness of "Terrorism""no Salon explica este post, em particular, mas não só, este pequeno excerto"In other words, now that we know the alleged perpetrator is not Muslim, we know -- by definition -- that Terrorists are not responsible; conversely, when we thought Muslims were responsible, that meant -- also by definition -- that it was an act of Terrorism. "