Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Resposta ao Miguel do Insurgente

Miguel,

 

Os méritos ou deméritos do investimento em energias renováveis não podem ser julgados pelos postos de trabalho que desapareceram no período, porque a verdadeira questão é saber se esses empregos teriam desaparecido, mesmo sem a aposta na tal "bolha verde". E mesmo que tal tenha acontecido, o desemprego friccional deve ser visto como um dos males inevitáveis da modernização de uma economia, e pensar a renovação das economias, um argumento central na defesa de um estado empreendedor. Quando desapareceu a indústria das carruagens, ninguém se lembrou de criticar o empreendedor que inventou o carro.

No entanto, por detrás da banalizada expressão bolha, está um sentido pejorativo que tenta subestimar a aposta em energias limpas. Discutir a importância desta tendência é, pois , muito relevante. 

Em tempos também se associou a palavra bolha à internet, muito por investimentos excessivos por parte de privados (sim, eles também cometem excessos e não só na crise financeira) e por uma desvalorização do risco associado a negócios suportados nesta tecnologia. No entanto, a internet é hoje uma aposta central em (quase) todas as propostas de investimento e em (quase) todas as políticas públicas. Quer isto dizer que todas as novidades têm o seu estágio de maturidade. E, por estarmos hoje a corrigir os incentivos dados à construção de capacidade em energias renováveis, não significa que estamos a desqualificar a aposta, apenas que a escala do mercado e o estágio de desenvolvimento dessa tecnologia já não exigem prémios de risco tão elevados.  

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media