Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Eles não sabem, nem sonham

Tendo instintivamente a acreditar que, quando alguém dotado de um currículo relevante se pronuncia sobre um certo assunto, decerto saberá do que está a falar. Se calhar vou ser obrigado a rever a minha atitude. Venham este extracto da entrevista de Abel Mateus no Jornal de Negócios de hoje.

Os estudos do Governo dizem que o valor negativo do projecto [TGV] é compensado por externalidades: factores ambientais, crescimento adjacente, IRC... Isso torna o projecto sustentável.
Isso é aritmética cosmética. É muito difícil estimar externalidades. Vale mais ser muito cauteloso do que estar a fazer sobreestimativas só para encher o número [sic].

Há dias foi Vítor Bento a afirmar que parte da rentabilidade esperada do TGV depende "de componentes da mais pura e arbitrária subjectividade", como os "benefícios obtidos com a redução do tempo médio de viagem das travessias sobre o Tejo", a "redução dos custos operacionais dos carros que dessa forma se consegue e pelo impacto positivo em termos ambientais" e o "aumento de produtividade".

Agora, é Abel Mateus a contestar que se introduza o cálculo de externalidades na análise custo-benefício. Isto só pode significar que, afinal, eles pura e simplesmente não sabem o que é uma análise custo-benefício.

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media