Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Eu não dizia que cada país tem a Sarah Palin que merece?

Os padres das paróquias da Baixa resolveram tecer encómios a Pedro Santana Lopes no respectivo boletim paroquial e anunciar ao seu rebanho que o apoiam na corrida autárquica para Lisboa.

 

No último boletim das paróquias da Baixa-Chiado, o cónego Armando Duarte, que pressurosamente esclareceu ser apoiado no panegírico pelos restantes párocos, escreveu, completamente sem vergonha na cara, que  «Este homem ama a Cidade! ... Este homem é um homem de palavra!... Este homem tem visão!... Este homem tem vergonha!». 

 

A  elegia exclamativa do Santana Flopes cujas qualidades pudemos apreciar em todo o seu horror nos (felizmente para o país escassos) meses em que  dirigiu o executivo que nos (des)governou, é explicada num parágrafo precedente:

 

«Em 2002, mal tomou posse, Santana Lopes recebeu-nos e aproveitou para nos dizer que queria ajudar na reabilitação das nossas igrejas».

 

Ou seja,  dar lustro (e, principalmente, dinheiro) ao ego clerical é q.b. para apoiar efusivamente um político  para o padre  que seguramente secunda a  frase excelsa da laicidade clerical inclusiva de Carlos Azevedo, bispo auxiliar de Lisboa e porta-voz do episcopado, a propósito das ilusões nacionais sobre a nossa ser uma sociedade laica.

 

O facto de António Costa não se ter prestado a beija-mãos à Igreja nem a ter favorecido monetariamente, desfavorece, segundo o artigo do referido boletim paroquial, o candidato socialista. Pior ainda, para o referido senhor, que carpe estridentemente no mesmo tom do comissário político da Igreja que ululou, em prime time e numa entrevista transmitida na íntegra pela televisão pública, as invectivas do «estado militantemente ateu» e o laicismo desenfreado de alguns ministros,  António Costa não acautela os melhores «interesses paroquiais»:

 

«Contudo, a nosso ver, em dois anos de mandato, António Costa nada alterou, antes agravou o impasse, tratando as paróquias e as irmandades, umas vezes como se fossem perigosos especuladores imobiliários e, outras vezes, como se fossem travões obscurantistas da cultura que interessa a uma Lisboa moderna e progressista.»

 

Não sei se em Lisboa se repete o que acontece em Itália - e em Roma em particular - em que a Igreja é de facto o maior especulador imobiliário do país, mas não tenho dúvidas, e se as tivesse o padre Serras Pereira rapidamente as tiraria, que as paróquias e irmandades são de facto demasiadas vezes travões obscurantistas  á modernidade e ao progresso. Mas em particular  espanta-me  que  a Igreja, pelo menos pelo que reflecte esta exortação ao voto em Santana Lopes, continue no século XXI não só a considerar que a política existe para servir os interesses dessa mesma Igreja como a imiscuir-se descarada e indevidamente em assuntos em que deveria abster-se de pronunciamentos, em particular por razões tão vis.

 

E espanta-me que o interessado (ou será interesseiro?) padre  não se aperceba que este manifesto anti- António Costa é no mínimo um tiro no pé que revela apenas que para a Igreja a política não passa de um leilão em que se arremata o voto ao melhor licitador.

22 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media