Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Pelos caminhos da bloga

Ao ler este post do Paulo Gorjão lembrei-me de um documentário ou conferência (já não sei bem) que vi de um muito conceituado estudioso destas temáticas (pandemias, saúde pública, etc) há uns anos (penso que na altura do 1º surto noticiado de Ébola).

A discussão teórica baseava-se num "cenário catástrofe", uma qualquer doença mortal que surgisse, para a qual se disporia de vacina mas não em número suficiente para proteger toda a população. Haveria, portanto, necessidade de escolher quem seriam os "protegidos", estabelecer critérios. O conferencista afirmava que ser dirigente político num cenário daquele estilo seria, obviamente, a suprema provação porque os critérios de "bom senso" contrariam aqueles que, aos nossos olhos, seriam os mais humanos já que, depois de serem vacinados os grupos mais óbvios (a saber: técnicos de saúde, forças de segurança e lugares de topo da administração pública),seriam à partida excluídos como "a proteger" os dois grupos populacionais que, tradicionalmente, nos inspiram maiores sentimentos de protecção, ou seja, os menores de 2 anos e maiores de 65... a justificação para tal era exclusivamente de "bom senso economicista". Nas crianças até 2 anos ainda não tinha havido investimento suficiente que não pudesse ser descartado sem grande prejuízo e os maiores de 65 anos já não tinham muitos anos de vida útil e produtiva pela frente, logo eram dos mais dispensáveis.

Confesso que por muito racional que tente ser não consegui ouvir toda a conversa sem sentir um profundo mal-estar.

2 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media