Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

revisão da matéria dada

Em tempos, para um debate televisivo, elaborei uma lista de críticas ao Governo. O debate ficou-se por generalidades e a lista foi para a gaveta. É uma boa altura para a recuperar, agora que se inicia um novo ciclo. Uma das primeiras críticas que nela figuravam foi muito falada nos últimos dias: a ausência de paridade na composição do Executivo de um partido que fez bandeira da lei do mesmo nome. É no mínimo pouco entendível que se estabeleça um critério para o Parlamento e outro para o Governo. Não vale dizer que "não há mulheres" - essa era exactamente a desculpa dos que se opuseram à lei. (Soube-se entretanto que há cinco ministras entre 16 no novo Executivo. Melhor, mas ainda longe do bom.)

 

A segunda crítica prende-se com o chamado "Novo Regime do Arrendamento Urbano", que não só não resolve qualquer dos problemas preexistentes como lhes acrescenta perversidades. Faz depender o aumento da renda, qualquer que seja o seu valor, do estado do imóvel - ignorando o facto óbvio de que na maioria dos casos os imóveis se degradaram devido a décadas de rendas miseráveis -; obriga a uma avaliação paga que, esperteza, actualiza o valor do imóvel e portanto o imposto a pagar; estabelece que, caso o inquilino tenha mais de 65 anos, os aumentos são, qualquer que seja o seu rendimento, diluídos ao longo de dez anos. Resultado? A generalidade dos senhorios nem tenta aumentar as rendas e o parque habitacional prossegue a sua alegre degradação. Acresce que continua a ser um inferno despejar quem não paga a renda, o que desincentiva o arrendamento.

 

A terceira tem a ver com a legislação do subsídio de desemprego. Não só é tão difícil de entender que cada funcionário da Segurança Social faz a sua leitura, como transforma os beneficiários do subsídio em panhonhas ou em burlões compulsivos. Uma lei que impede um desempregado de passar recibos verdes, seja qual for o valor, sob pena de perder o subsídio e que só permite que este trabalhe "a tempo parcial" com contrato é uma lei que vive noutro mundo. E, claro, há a eterna questão dos "empregados de recibo verde". O Governo cessante alegava que em todo o mundo não há solução para isso. Certo é que essas pessoas pagam impostos e Segurança Social. Será impossível criar um novo escalão de descontos para os que quiserem ter acesso a subsídio de desemprego, com um tempo mínimo de prestações para que esse acesso se efective? E é disparatado propor um sistema em que os beneficiários do subsídio possam trabalhar a recibo declarando o que recebem (ao invés de, como tanto sucede, porem outros a fazê-lo) e descontando no subsídio recebido uma parte do que auferiram? Não ganharia toda a gente com isso - o Estado porque poupa e o desempregado porque trabalha?

 

A última crítica, e só é a última porque falta espaço, diz respeito à laicidade do Estado. O Governo cessante mostrou tibieza nesta matéria, tanto quanto aos crucifixos nas escolas (afirmando que a escola é laica mas que os símbolos religiosos só saem "a pedido") como à assistência religiosa nas estruturas de segregação - hospitais, prisões, quartéis. Talvez tenha achado que se trata de questões menores. Se assim é, aliena tanto os laicos como os crentes - e nunca é demais lembrar que não os há só católicos.

 

(publicado hoje no dn)

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Damião Fernandes 23.10.2009

    Está a brincar em relação aos feriados, certo?
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Arquivo

    Isabel Moreira

    Ana Vidigal
    Irene Pimentel
    Miguel Vale de Almeida

    Rogério da Costa Pereira

    Rui Herbon


    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Comentários recentes

    • Fazem me rir

      So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

    • Anónimo

      Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

    • Anónimo

      Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

    • Anónimo

      "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

    • Anónimo

      apos moderaçao do meu comentario reitero

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D

    Links

    blogs

    media