Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

para o rogério, mas sem a parte do amor (joão miguel tavares responde a rogério costa pereira)

o rogério escreveu isto a propósito desta resposta do joão miguel a este meu texto. agora o joão miguel responde ao rogério que lhe respondia a ele que me respondia a mim (uf, a ver se paramos com isto antes de 2011)

 



Caro Rogério

 

Gostava muito, mas mesmo muito, que por um momento levantasse a estrambólica hipótese de eu não ser um idiota chapado. Admito que seja difícil, mas em nome, sei lá, da quadra natalícia, atrevo-me a pedir-lhe que por apenas cinco minutos imagine que o meu QI é ligeiramente superior ao de uma amiba, e que volte a ler aquilo que escrevi no seu blogue em resposta ao post da Fernanda. Eu espero um bocadinho.

Já está? Então talvez possamos assentar em algumas premissas básicas, para a partir daí conseguirmos encontrar uma plataforma mínima onde apoiar a nossa conversa.

 

1.       Há uma diferença substancial entre defender que não é exigível pedir a um colunista que prove certas afirmações e defender que um colunista pode dizer tudo aquilo que lhe vem à cabeça. Eu não acho, caro Rogério, que amanhã possa ir para um jornal escrever, out of the blue (desculpe não saber latim), que a actividade favorita de um ministro é roubar caixas de Playmobil. A sério que não acho.

 

2.       Agora, imagine que um jornal respeitável tem três funcionários da Toys’r’Us a testemunhar que esse ministro foi efectivamente apanhado a escapulir-se com uma quinta dos póneis debaixo do braço. É ou não legítimo eu escrever num jornal: “é inadmissível um ministro andar a roubar caixas de Playmobil, ele deve uma explicação ao país”? Está dentro dos limites da minha liberdade de expressão? Ou, pelo contrário, pode ser considerada uma difamação, por estar a acusar esse ministro sem ter provas?

 

3.       O ministro, ou algum dos seus amigos, pode perfeitamente vir a terreiro perguntar: “Que provas tem você do roubo da quinta dos póneis da Playmobil? Não houve qualquer roubo. Tratou-se de uma cabala dos funcionários da Toys’r’Us. O senhor colunista difamou o senhor ministro e vai levar com um processo.”

 

4.       E eu levo com um processo. Como é que eu provo em tribunal que o senhor ministro roubou a quinta dos póneis? Na verdade, não tenho como provar, no sentido jurídico do termo. A única coisa que posso dizer é: li num jornal respeitável, os argumentos e os testemunhos pareceram-me válidos, escrevi o meu texto a partir daí.

 

5.       Diria que a minha actuação foi ilegítima, caro Rogério? Diria que eu devia ser condenado por estar a acusar injustamente um ministro de um roubo de uma caixa de Playmobil? Ou recusa, à partida, a minha legitimidade para escrever sobre o ministro e o roubo da quinta dos póneis baseado apenas numa notícia de jornal?

 

Fico ansiosamente a aguardar a sua resposta.

João Miguel Tavares, ou, se preferir, “a amiba”


 

5 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media