Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

para o rogério, mas sem a parte do amor (joão miguel tavares responde a rogério costa pereira)

o rogério escreveu isto a propósito desta resposta do joão miguel a este meu texto. agora o joão miguel responde ao rogério que lhe respondia a ele que me respondia a mim (uf, a ver se paramos com isto antes de 2011)

 



Caro Rogério

 

Gostava muito, mas mesmo muito, que por um momento levantasse a estrambólica hipótese de eu não ser um idiota chapado. Admito que seja difícil, mas em nome, sei lá, da quadra natalícia, atrevo-me a pedir-lhe que por apenas cinco minutos imagine que o meu QI é ligeiramente superior ao de uma amiba, e que volte a ler aquilo que escrevi no seu blogue em resposta ao post da Fernanda. Eu espero um bocadinho.

Já está? Então talvez possamos assentar em algumas premissas básicas, para a partir daí conseguirmos encontrar uma plataforma mínima onde apoiar a nossa conversa.

 

1.       Há uma diferença substancial entre defender que não é exigível pedir a um colunista que prove certas afirmações e defender que um colunista pode dizer tudo aquilo que lhe vem à cabeça. Eu não acho, caro Rogério, que amanhã possa ir para um jornal escrever, out of the blue (desculpe não saber latim), que a actividade favorita de um ministro é roubar caixas de Playmobil. A sério que não acho.

 

2.       Agora, imagine que um jornal respeitável tem três funcionários da Toys’r’Us a testemunhar que esse ministro foi efectivamente apanhado a escapulir-se com uma quinta dos póneis debaixo do braço. É ou não legítimo eu escrever num jornal: “é inadmissível um ministro andar a roubar caixas de Playmobil, ele deve uma explicação ao país”? Está dentro dos limites da minha liberdade de expressão? Ou, pelo contrário, pode ser considerada uma difamação, por estar a acusar esse ministro sem ter provas?

 

3.       O ministro, ou algum dos seus amigos, pode perfeitamente vir a terreiro perguntar: “Que provas tem você do roubo da quinta dos póneis da Playmobil? Não houve qualquer roubo. Tratou-se de uma cabala dos funcionários da Toys’r’Us. O senhor colunista difamou o senhor ministro e vai levar com um processo.”

 

4.       E eu levo com um processo. Como é que eu provo em tribunal que o senhor ministro roubou a quinta dos póneis? Na verdade, não tenho como provar, no sentido jurídico do termo. A única coisa que posso dizer é: li num jornal respeitável, os argumentos e os testemunhos pareceram-me válidos, escrevi o meu texto a partir daí.

 

5.       Diria que a minha actuação foi ilegítima, caro Rogério? Diria que eu devia ser condenado por estar a acusar injustamente um ministro de um roubo de uma caixa de Playmobil? Ou recusa, à partida, a minha legitimidade para escrever sobre o ministro e o roubo da quinta dos póneis baseado apenas numa notícia de jornal?

 

Fico ansiosamente a aguardar a sua resposta.

João Miguel Tavares, ou, se preferir, “a amiba”


 

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media