Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

a questão do panteão

não sou uma leitora de aquilino. li um ou dois livros, há muito muito tempo. não sei se é ou não um grande da literatura portuguesa. mas, caramba, está lá o joão de deus, li não sei onde. acho que isso arruma a questão do mérito literário -- a não ser que o joão de deus esteja lá por outras razões, o que é possível, sei lá eu (e, sim, não me dei ao trabalho de saber). a outra questão, muito debatida, com direito a abaixo assinado e tudo, é a da alegada/suposta/suspeita participação no regicídio. da participação parece não haver provas incontroversas -- ou provas tout-court, mas isso será normal nesse tipo de actividade. há a suspeita e as opiniões de aquilino. ele não terá sido desfavorável ao regicídio. é qualquer coisa. percebo que a ideia de matar -- um rei ou seja quem for -- e daquela forma surja como tenebrosa. não me parece é que se possa falar disso sem ter em atenção uma série de condicionantes contextuais. uma é a de que me parece que o regime monárquico em vigor no princípio do século xx podia ser visto como uma tirania -- democracia é que decerto não era. matar o rei era matar um regime baseado na ideia de uma desigualdade fundamental entre os cidadãos. na essencia, o corpo do rei é o estado. matar o rei não é, pois, do ponto de vista político, matar uma pessoa, mas um regime, uma forma de estado. resta, naturalmente, que o rei e o princípe eram pessoas. e que foram mortos de forma horrível. mas falar do regicídio como se se pudesse comparar a um atentado terrorista numa democracia, num estado de direito, é um total disparate. a propósito, ler eduardo pitta (hoje é o meu dia de citar eduardo pitta).

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

blogs

media