Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Mais exemplos daquilo que eu não suporto na Direita populista

De acordo com uma das propostas do CDS, os criminosos mais violentos e reincidentes deixam de poder sair da prisão em liberdade condicional e devem cumprir as penas até ao fim. O CDS também defende o o endurecimento das penas. Isto por causa do "aumento da criminalidade".

Estas medidas agradam à população desavisada, todos os dias casuisticamente e sem qualquer leitura sistemática dos factos, mergulhada em histórias pintadas de pormenores a fazerem cada um pensar que vivemos na selva, o que resulta da deformação tão bem descrita pela Fernanda e da falta de rigor na afirmação, sem mais, de um assustador "aumento de criminalidade", o que é uma histeria.

Existem problemas? Sim. Aqui e em todo o lado e devemos, sempre, caminhar no sentido do aperfeiçoamento permanente das leis. Mas não se pode cair na irresponsabilidade do populismo já revelado em tantas outras propostas, como, imediatamente após notícias isoladas sobre bullyng, a de penalizar os pais de alunos, nomeadamente defendendo que lhes sejam "retiradas ou diminuídas as prestações sociais como o abono de família ou bolsas de estudo" no caso de "haver comportamentos abusivos, violentos, constantes, por parte dos alunos". É assustador este tipo de populismo.

Voltando às propostas penais do CDS, tenho a certeza de que muitas pessoas em casa têm o instinto imediato de pensarem: sim senhor!; É assim mesmo! Penas mais duras! Reincidente e ainda podiam sair em liberdade condicional?; Ainda por cima criminosos violentos? Era o que faltava!

Acontece que deveria caber aos responsáveis políticos escolher o caminho da racionalidade, do estudo do que está feito sobre essas matérias antes de abrir a boca, de apresentarem propostas tendo em conta as finalidades das penas e o facto de cada pessoa ser uma pessoa, pelo que que pode muito bem acontecer que um criminoso violento, sim um desses, reincidente e tudo, efectivamente tenha cumprido os requisitos necessários à liberdade condicional. Sim, é possível, imagine-se, que uma pessoa se regenere e que mereça uma avaliação individual levada a cabo por um juiz. É isso que o CDS quer que não possa ser feito. Ninguém, nessas circunstâncias, mesmo que tenha aproveitado as finalidades que a inevitável pena privativa de liberdade tem em vista, pode ter uma oportunidade. Está sentenciado, à partida, por lei.

Depois, vamos endurecer as penas.

É ler qualquer coisa sobre as funções das penas, o que também se relaciona o que escrevi anteriormente. É ler qualquer coisa, por exemplo, de Roxin e sobre o que a partir dele tantos portugueses já reflectiram. E, já agora,  o que não faltam por aí são estudos que demonstram que a pena de morte não diminuiu a criminalidade, assim como o aumento das penas também não a diminiu.

Então por quê estas propostas? Por quê? Porque a direita populista responde a gritos naturais, induzidos, desinformados, não com responsabilidade, mas com microfones.

11 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media