Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

má informação

Os jornalistas são sistematicamente acusados de preguiça e de fazerem tudo a correr e em cima do joelho (sucede muito); de se copiarem e repetirem uns aos outros - diariamente, é só ver o que as TV e rádios fazem com as notícias dos jornais e o que as edições online fazem com tudo -; de só quererem saber de sound bites e benficas-sportings e títulos ululantes e politiquices e não se interessarem pelo "fundo dos problemas"; de estarem sempre "contra"; de terem "agendas"; de chamarem investigação a receber uns papéis com coisas contra alguém; etc.

 

Sucede que quem queira fazer a coisa certa - investigar, ir ao tal "fundo dos problemas", perceber o que se passa antes de embarcar no primeiro comboio que aparece, descobrir novos ângulos de abordagem - tem a vida muito dificultada no que respeita à informação dita "oficial" que não tenha sido coligida para comunicado. No tempo em que os ministérios, os institutos, as câmaras, a presidência, tudo e mais um par de botas (menos os tribunais) têm sites, "gabinetes de comunicação", assessores de imprensa e imagem e todo um exército de gente paga pelo erário público para disponibilizar informação e responder a perguntas, obter "dados" sobre seja o que for, é, como há 20 anos, um martírio.

 

Assessores de imprensa que nunca têm tempo para atender o telefone ou que quando o atendem é para dizer "mande-me um mail"; que chegam a levar meses (tenho um caso recente) a responder a perguntas e mesmo assim só parcialmente ou nada; que escolhem a quem dar uma informação que lhes foi solicitada por vários meios, sem que haja um critério mínimo de equidade (sendo a ordem de chegada o único aceitável); uma atitude geral de saloiice (é regra ligar-se para um assessor e atender alguém a explicar que "o doutor" não está) e não raro de arrogância e até má educação. Tudo isto, que é tanto mais encanitante quando a maioria dos assessores já foram jornalistas (e em muitos casos voltarão a sê-lo), e contrasta com a disponibilidade e profissionalismo tantas vezes encontrados em gabinetes de imprensa de outros países ocidentais (que se dão ao trabalho de ligar para um telemóvel português para responder a um pedido de informação), ultrapassa a mera incompetência.

 

A ideia da informação que tem e só pode ter carácter público como propriedade privada das instituições e de gente contratada para a coligir, tratar e divulgar, a ideia dos "segredinhos" e dos "favores" a "jornalistas amigos", a ocultação e o tráfico do que é de todos, é coisa de terceiro mundo. E, sobretudo, favorece manipulações e distorções. Quem delas se queixa, e tantas vezes com razão, deveria pensar a que ponto a atitude geral dos governos na gestão da informação se repercute e o quanto, se a democracia depende em muito do jornalismo que se faz, o jornalismo depende da democracia que se pratica.

 

(publicado hoje no dn)

20 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media