Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

É muito curioso que...

...Gertrude Himmelfarb só fale de três iluminismos (Francês, Americano e Britânico), pois isso revela não só uma leitura parcial e enviesada da tradição de pensamento político e filosófico, mas sobretudo todos os equívocos e distorções que a direita em geral exibe quando fala desses temas. O dualismo mundo anglo-saxónico vs. tradição continental francesa, em que os 'bons' são os empiristas moderados, cultores de uma abordagem céptica, conservadora e respeitadora dos limites da razão, e os 'maus' são os extravagantes dos franceses, com todos os seus excessos revolucionários que levam necessariamente ao Terror, são extremamente úteis quando queremos defender esquematizações simplistas do mundo em que vivemos. O que Himmelfarb (e o Henrique Raposo) esquece é o iluminismo do idealismo e do romantismo Alemão—que, pelo menos no início, tentou mediar entre os dois extremos, entre a revolução e o conservadorismo— que constitui o elemento fundador do pensamento crítico moderno, influenciando autores tão diversos como Schoppenhauer, Kierkgaard, Marx, Nietzsche e grande parte daqueles que no séc xx se dedicaram a estes temas. O dualismo defendido por Himmelfarb é falso porque é parcial, e é desonesto (suponho que ela não seja ignorante) porque empurra todos aqueles que não se identificam com a sua posição para um campo que não é necessariamente o seu. Se há algo que esta tradição (num sentido lato) fez foi questionar os dualismos que Himmelfarb pressupõe e que sustentam a sua posição. A diversidade dos autores que ela esquece não são mais do que o espelho da pobreza e distorção da superioridade (acrítica) da sua posição.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

blogs

media