Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Da intolerância religiosa e de lixos tóxicos

Tim Boudreau, professor de jornalismo da Central Michigan University, todos os anos convida um orador conhecido pelas suas opiniões ofensivas para ilustrar aos seus alunos de Media Law que a Primeira Emenda protege a liberdade de expressão mesmo ao mais imbecil fanático. Este ano, a convidada foi Shirley Phelps-Roper, filha do fundador da Westboro Baptist Church que, por exemplo, organizou uma manifestação no funeral de Heath Ledger em protesto religioso pela sua participação no filme Brokeback Mountain - porque «Deus odeia o sórdido balde de lodo peganhento temperado com vómito conhecido como  Brokeback Mountain e todas as pessoas que estão envolvidas nesse filme».

 

Os Phelpses foram ao campus esta semana. Uma estudante resumiu bem a palestra e a impressão que lhe causou. Kara Eastling, que considera os membros da igreja «um bom exemplo de intolerância», afirmou «Honestly, it's hard to put into words. I think it was a good learning experience. It actually makes me feel better about myself. I'm glad I'm not like that.»

 

Esta foi uma excelente iniciativa de Bordreau que cumpriu muito mais que os objectivos de mostrar que até fanáticos imbecis devem ter o direito a exprimir as tolices mais bárbaras. Com este exemplo tão vivo os estudantes não esquecerão nunca a lição mas não esquecerão também o que de facto pretendem os fundamentalistas de qualquer credo. Por isso, e contrariamente ao que ululam aqueles, fundamentalistas, católicos que povoam as nossas caixas de comentários quando os seus comentários não são aprovados de imediato, não me passa sequer pela cabeça «censurar» ou usar «lápis azul» nas tonterias que debitam. De facto, não há nada mais didáctico que deixá-los falar para que todos percebam o que realmente lhes vai na cabeça.

 

E não há assunto mais educativo que o ateísmo, como confirmou recentemente um católico «moderado», um dos grandes nomes da teologia da libertação. Frei Betto respondeu aos que protestaram uma sua opinação em que afirmava que os crimes cometidos pela ditadura brasileira foram motivados pelo ateísmo militante, explicando que são perversos militantes fundamentalistas ateus todos aqueles que negam Deus. Mais concretamente, afirmou «Lamento que os ateus não tenham entendido minha posição contrária ao ateísmo militante, ou seja, pode-se ser ateu, mas não negar o Deus no qual cremos ou profanar o templo vivo de Deus que é o ser humano».

 

Ou seja, frei Betto apenas aceita ateus que não neguem Deus, todos os outros são fundamentalistas e necessariamente torturadores abjectos. E, implicitamente, devem ser repudiados ou mesmo perseguidos, como afirmou recentemente o ministro italiano dos «strange affairs». Aliás, os comentários a esse post são especialmente educativos pela defesa acérrima da perseguição de ateus fundamentalistas, categoria em que cabem todos os que se atrevem a afirmar-se ateus.

 

Um dos beatos comentadores não teve pejo em aplaudir «Frattini e a sua coragem em dar um sinal aos crentes que chegou a hora de contrariar as perseguições que ALGUNS ateus [identificados como militantes perversos] fazem contra as normas de vida que são da opção de cada um». Quem são esses militantes perversos, ou antes «lixo tóxico» foi explicitado nos comentários a outro post. Os únicos ateus toleráveis são aqueles que sofrem pela sua falta de fé e «calam sua angústia e militam em privado e sem ondas, levando seus filhos a ser educados em escolas cristãs e também católicas (os que podem), para que a proposta cristã seja verdadeiramente assumida independentemente dos dogmas». Ou seja, só são verdadeiros ateus para os crentes aqueles «que lêem a bíblia e batem com a mão no peito»

 

É razão para perguntar por que cargas de água tanto ofende os crentes a mera existência de ateus que se atrevem «a exprimiram-se ateus» e que, horror dos horrores, se arroguem a defender «o direito de ser ateu e de exprimir a negação de Deus». Ou por que razão, em assomos tóxicos de presunção e água benta, se considera um direito, ou antes, um dever inalienável, dos cristãos combaterem o ateísmo. E, principalmente, por que razão acusam de perseguição quem critique a cruzada...

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media