Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Medidas seriam mais leves se pedido tivesse sido feito mais cedo 2

Jürgen Kröger, representante da Comissão Europeia, diz que devíamos ter pedido ajuda mais cedo. Assumindo que ele tem razão, quando deveria ter surgido este pedido?

 

Primeira hipótese: Portugal devia ter pedido ajuda externa antes de apresentar o PEC IV, a ajuda externa era inevitável e só o governo português é que insistia em negar esta evidência. Esta hipótese é incongruente, porque, convém não esquecer, foi justamente a Comissão que encorajou o Governo a apresentar o PECIV e que o apoiou fortemente (juntamente com o BCE). Quem tiver dúvidas pode verificar as conclusões do Conselho Europeu de dia 11 de Março.

 

Segunda hipótese: Portugal devia ter pedido ajuda externa logo depois de chumbado o PEC. Também esta hipótese é incongruente, por duas razões: como a própria troika sublinhou, o acordo é essencialmente igual ao PEC, e só difere nas medidas chamadas estruturais; a) ora, se são estruturais, não se percebe como é que 14 dias podem mudar estruturalmente o que quer que seja; b) quanto às outras medidas, basta repetir que são essencialmente igual às do PEC, logo: terem passado 14 dias, segundo a própria troika, não mudou nada. Dito de outro modo: tudo o que de facto aconteceu entre o chumbo do PEC e o pedido de ajuda foi que a situação de Portugal nos mercados (e, em particular, a dos bancos portugueses) piorou de tal forma que a ajuda externa se tornou inevitável.

 

Terceira hipótese: Jürgen Kröger, apesar de ser representante da Comissão Europeia, não concorda com a posição que a instituição que representa assumiu em relação ao PECIV. Apesar de esta ter dito, juntamente com o BCE, que o PECIV era suficiente, Jürgen Kröger sempre soube que tal não era verdade: a ajuda externa não só era inevitável como até já vinha tarde. E foi assim que Portugal ficou a saber que um alto funcionário da Comissão acha que o governo português errou. Pergunta: desde quando é que a opinião pessoal de Jürgen Kröger passou a ser assunto?

1 comentário

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media