Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Competitividade

Vale a pena ler este artigo sobre o sucesso das Mittelstand (PMEs), o motor da economia alemã. Li e reli, e em nenhum lado a TSU, os custos unitários do trabalho ou competitividade/preço dos seus produtos surgem como factores críticos (ou sequer relevantes) para o sucesso destas empresas. Estas empresas são bem sucedidas porque são bem geridas, porque dão formação de qualidade aos seus empregados, porque investem e inovam e porque os seus produtos têm forte procura. É certo que a flexibilidade do mercado laboral foi fundamental durante o período mais grave da crise, mas esta flexibilidade (Kurzarbeit) é inteiramente distinta daquela que FMI e a maioria dos economistas mais ortodoxos defendem para Portugal. As famosas reformas estruturais, sobretudo as que os liberais qualificam de 'game changer', são mais um fetiche de economistas fechados sobre as suas próprias realidades metodológicas do que algo que decorra de uma avaliação séria e realista daquilo que permitiu à economia do país A ou B desenvolver-se e ser bem sucedida. Apesar de não dispensar a leitura integral do artigo, deixo aqui algumas passagens:

 

The typical Mittelstand is an unpretentious, quietly successful manufacturing firm run by its owners – often families covering several generations – with a loyal, local workforce that has been trained at the firm through apprenticeships

 

The Mittelstand behaved counter-cyclically: they tried to keep qualified staff, invested in research and development and sales, whereas many publicly listed companies with short-term performance pressures laid off people

 

Mittelstand firms such as machine tool-makers suffered heavily during the global recession but also bounced back quickly because their products are what Simon calls “postponable but indispensable.” They sell things that businesses absolutely need but rarely need right away.

 

Mittelstand firms also tend to make high-quality, specialised products such as machine tools that can’t be bought elsewhere. Emerging economies, most obviously China, can’t get enough of Germany’s well-made tools.

China may be the world’s factory, but Germany companies are building it

6 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media