Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

coisas verdadeiramente explicáveis (em que número vai isto?)

parece que houve quem, em post publicado ontem, estabelecesse sem sombra de dúvida que o destinatário deste meu post da mesma data só pode ser um antónio manoel figueiredo da costa figueira, que está, desde 1 de agosto segundo o diário da república, contratado por miguel relvas, ministro adjunto do governo psd/pp, para fazer para ele uns 'trabalhos e estudos na área da sua especialidade' (cito o despacho). ora, não tendo o meu post qualquer referência nem a nomes nem a postos específicos ou sequer a contratador denominado, não posso deixar de me ensimesmar com a certeza do autor da posta referida, que, imagine-se, ainda por cima escreve no mesmo blogue que o tal figueira. qual dos qualificativos mencionados no meu post -- 'pulha', 'prática habitual da calúnia e difamação', 'excelência no insulto gratuito e soez', 'ódio de morte a sócrates e a quem o possa ter defendido ou apoiado', 'ter como especialidade a filha da putice' -- terá levado o bloguer a considerar certeira a descrição de figueira? decerto a esta perplexidade só o próprio poderá responder, de preferência a quem assim vilipendiou estouvada, cruel e publicamente.

 

mas o post em causa merece mais anotação que a da manifesta perversidade com um co-blogueiro (coisa feia, mas é lá entre eles). é que segundo o autor, assumido membro do pcp, estabelece não há qualquer problema em que alguém com quem partilha um blogue - naturalmente revolucionário - ir cumprir funções que, presume-se, só podem ser de propaganda num gabinete do governo psd/pp (a especialidade do tal figueira é, parece, 'comunicação'), desde que aufira um ordenado. ser assalariado, então, permite perdão para qualquer crime cometido em funções, nomeadamente o de lesar os direitos sagrados dos trabalhadores. segundo quem assina o post, o problema está em alguém se escandalizar com poderem-se defender ideias por dinheiro -- esse escândalo só pode, explicita, advir de  'subordinação intelectual e dependência financeira'. pelo contrário, defender ideias em troca de uns milhares de euros mensais, mesmo não se tendo com elas, presume-se, qualquer concordância, é trabalho honesto, motivo de orgulho, e causa para que este excelente comunista salte de indignação contra quem ele depreende estar enojado com isso.

 

portanto, entendamo-nos: subordinação intelectual e dependência financeira não têm nada a ver com receber dinheiro para propagar e sustentar as ideologias de quem paga, não; tem a ver com, bom, qualquer coisa que não seja receber dinheiro para propagar e sustentar as ideologias sendo pago para tal: quiçá, dizer o que se pensa, de graça e, esperançadamente, com graça(e arrostando acusações de ser pago para isso, claro está).

 

enquanto não chegam esclarecimentos da direcção do partido -- jerónimo, como é? trair o proletariado, desde que paguem bem, é kosher? -- ficamos com esta nova cartilha comuna. avante, camaradas. juntem a vossa a outras vozes, mesmo da direita mais caceteira, desde que o salário seja bom, meta ajudas de custo e despesas de representação. 

 

a não ser, claro, que esteja em causa uma sofisticada operação de sabotagem -- o que explicaria o facto, assumido pelo especialista figueira, de estar a perder dinheiro neste novo emprego, mas não é lá muito consistente com a defesa, mesmo se maldosa, que o colega dele pretende fazer (às tantas ninguém da soeiro o avisou, o que realmente até nem surpreende).

 

em adenda: o sempre inigualável ferreira fernandes.

43 comentários

Comentar post

Pág. 1/2

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media