Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

jugular

O optimismo dos cegos

No Prós e Contras de ontem, Carlos Moedas garantiu que o ajustamento da economia portuguesa está a ser um sucesso: o défice externo não só está a cair como ficou mesmo abaixo do esperado, e as exportações, depois de um mau mês de dezembro, voltaram a crescer a um excelente ritmo, como no ano de 2011. Tudo boas notícias, portanto. O problema é que, para além de não referir que parte do 'sucesso' da redução do défice externo se deve a uma queda da procura interna mais acentuada do que estava previsto, o que não pode ser considerado positivo, Carlos Moedas parece achar que o comportamento passado das exportações permite projectar tendências. Era bom que assim fosse. Infelizmente, não é. As exportações existem, não porque no passado houve exportações, mas porque houve encomendas. Se não houver encomendas, as exportações caem. Vejamos o que nos diz o INE sobre a evolução das encomendas: 

O nosso Índice de Novas Encomendas na Indústria acentua variação homóloga negativa O índice de novas encomendas recebidas pelas empresas industriais registou uma diminuição homóloga de 8,4% em janeiro (redução de 7,7% no mês anterior). Este comportamento foi determinado pela evolução do índice relativo ao mercado externo, que passou de uma variação de - 9,5% em dezembro para -11,3% em janeiro. As novas encomendas com origem no mercado nacional diminuíram 4,4% (redução de -5,3% no mês precedente).

Ao contrário do que deseja diz Carlos Moedas, não há qualquer razão para estar optimista. Se queremos mesmo saber o que vai acontecer às nossas exportações, a melhor previsão que temos é a que consta do gráfico abaixo:

 

O Governo pode dizer o que quiser sobre reformas estruturais redentoras e sobre o sucesso do ajustamento português. No mundo real, as únicas transformações estruturais vísiveis são o agravamento da recessão, o aumento do desemprego, a queda do investimento público e privado e um sector exportador com as encomendas em retracção. Em suma: uma economia bloqueada. E as más notícias, infelizmente, não acabam aqui. O Pacto Orçamental recentemente aprovado e que este governo entusiasticamente apoia, se for mesmo para levar a sério, vai constitucionalizar a austeridade e comprometer a economia europeia com uma estratégia de desalavancagem colectiva que irá inevitavelmente resultar numa profunda recessão. Tirando tudo isto, sim, está tudo a correr muitíssimo bem.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media