Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

a quem tenho que pedir desculpa?

Foi há dois anos. O meu carro desapareceu à porta de casa. Era uma chaveco velho com 20 anos, mas dava muito jeito, sobretudo por ser a diesel e pelo estilo "carro de combate" que aguentava tudo. Até hoje não consigo perceber quem se terá dado ao trabalho de furtar aquilo. Disseram-me que foi por causa das peças, asseguraram-me que foi por causa do motor ("uma bomba, valia mais do que o carro"), houve quem me garantisse que foi para um país africano. A explicação mais razoável foi que o usaram e que o largaram nalgum buraco. Nunca apareceu. Inglório fim para um Opel Corsa que suportou tudo, inclusivé um abalroamento estúpido por um cavalheiro que não parou num stop, que guiava sem seguro e que a polícia não quis saber porque tinha o "selinho" no limpa pára-brisas (e o guarda não conferiu a data), e por cuja indemnização ainda aguardo, em processo judicial, contra o dito e contra aquela maravilha da cidadania chamada Fundo de Garantia Automóvel.

Adiante. Passado um ano, feito o luto do velho boguinhas e perdidas as esperanças de o reaver, era chegada a hora de cancelar a matrícula e de deixar de pagar o Imposto de Circulação Automóvel que o fisco simpaticamente me continuava (e continua) a cobrar. Numa conservatória do registo automóvel, disseram-me que teria que ir ao IMTT tratar disso. E foi o que fiz. Depois de consultar o respetivo site, perdi uma manhã numa Loja do Cidadão. Nada feito, afinal era preciso uma "declaração da polícia" atestando a queixa que fiz no dia do furto. Protestei, porque nada disso constava na página informativa do IMTT e escusava de perder horas para nada. Paciência, encolher de ombros.

Muito bem. Passados meses, respirei fundo e decidi encerrar de vez a história. Fui à esquadra da GNR onde a queixa fora efetuada. Ninguém sabia o que fazer e acabaram por me encaminhar para a da PSP, "porque eles é que têm as bases de dados das viaturas furtadas". Lá fui. Histórias surreais à parte, lá me deram um documento. Agora era só voltar ao IMTT e acabar com isto. Para quem não saiba, o congestionamento destes serviços faz perder um dia inteiro. Há semanas fui lá, estavam 114 pessoas à minha frente. Hoje, finalmente, madruguei e apareci antes da hora de abertura. Duas horas de espera não é muito, de facto. Caso resolvido? Não. "Esta declaração não serve" foi o veredito. Voltei a protestar, porque não tenho culpa que a polícia não saiba o que quer o IMTT, que isto deveria estar tudo devidamente regulamentado e que andar de IMTT para a GNR, da GNR para a PSP e da PSP novamente para o IMTT não me parece justo, sobretudo porque, se as coisas funcionassem, deveria ser o próprio IMTT a pedir os dados que quisesse à polícia (qualquer que fosse). O processo entrou, fiz um "pedido" com a informação, mas já me avisaram de que deverei receber uma carta a dizer que falta a declaração adequada. E tive que pagar 10 €. Ah! e "tenho que lhe dizer que, para todos os efeitos, a matrícula não está cancelada". O fisco lá irá cobrar mais uma anuidade de IUC, e eu continuarei a perder o tempo que as instituições oficiais e policiais acharem adequado. E lá vamos cantando e rindo. Eu, não. Quem me roubou o carro, decerto que sim. Tenho a certeza de que lhe deu muito menos trabalho do que me está a dar a mim.

3 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

blogs

media