Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

4 comentários

  • Imagem de perfil

    MC 30.04.2009 20:41

    Cara Catarina,
    o alegado problema da falta de estacionamento em Lisboa será um problema que quem se desloca de automóvel terá que tentar resolver. Passar o problema para os peões é que é um absurdo.
  • Sem imagem de perfil

    catarina 01.05.2009 10:31

    MC

    Não é um "alegado" problema. É um problema real. Não são os condutores que têm de resolver a não ser que tenham dinheiro para comprar lugares em garagens de prédios que as têm ou que tenham dinheiro para esbanjar na EMEL ou que tenham mais dinheiro para os colocar em parques de estacionamento. Não defendo que se deixe o carro em casa porque anda de carro quem bem lhe apetece, nem que seja para se protejer da fumarada dos tubos de escape dos autocarros com ar condicionado e mal conduzidos, para se proteger do inferno em que se pode tornar o metro ou da lentidão insuportável para quem tem de trabalhar dos lindos eléctricos lisboetas.Detesto-os. Todos os dias me atrasam ainda que me levante com 2 horas de antecedência.O carro não é um luxo.É um bem de primeira necessidade na Lisboa actual e até pode ser um escape se no CD ou na rádio estiver a passar precisamente a música que se quer.Gasta-se gasolina, polui-se o ambiente. Pois, mas em momentos de crise, por favor deixem-nos ficar alguma coisa.Para mim, é o Carro. Adoro-o.É o meu cavalo principesca.Gosto de o conseguir estacionar para me transformar no tão desejado peão. Esta Lisboa faz-me funcionar assim e não me lembro de ter estacionado à frente de uma porta de hospital ou de ter atropelado um peão.
    O seu comentário ou é de quem não tem carro ou é de quem tem interesses na CML ou EMEL. E quem é que pôs as culpas nos peões? Leu-me a pôr as culpas nos peões ou a dizer que também eu sou peã. Perverteu o sentido ao comentário, logo caluniou.
    E MC, se chega muito delicadamente para fazer questão de contrariar um comentário que é claro como a água potável, agradeço-lhe infinitamente que não se dirija a mim por Cara Catarina porque eu nunca troquei uma única palavra escrita ou falada consigo e não percebo em que altura é que me tornei na sua " Cara Catarina".
    Agradeço interpelações e contraditórios mas, por favor, com franqueza e não com hipocrisia. "Cara Catarina" é o que dizem os folhetos que recebo na caixa de correiro da parte da CML , ora a CML de pouco trata porque não consegue, infelizmente. Como imagina, não são as obras na Baixa ou nas Avenidas Novas que vão resolver alguma coisa.
    De uma vez por todas: posso não ter razão ou estar a falar ao lado mas quando me quiserem contrariar não me tratem por Cara nem me enviem cordiais cumprimentos porque isso é cinismo de parlamento e de estúdio de televisão. E isso em mim provoca irritação e comentários longos e chatos de ler.
    O meu primeiro comentário é claro, já o voltei a ler e mantenho-o.
    Hoje estacionei bem porque tive sorte e é feriado.

    Sei de alguém anónimo, condutor e peão, que está a tentar resolver alguma coisa mas é uma verdadeira odisseia: Processou a EMEL. Eu não o fiz mas fui dada como testemunha. É suficiente ou quer uma Odisseia Homérica? Depois, conto em ir votar nas próximas autárquicas, em quem, não faço a mínima.
    Vou tentar Não acompanhar a campanha para conseguir votar em consciência.
    Obrigada pelo seu reparo mas foi ao lado.Suspeito que nem me leu e tem essa minuta para atirar a quem aparecer.
  • Imagem de perfil

    MC 01.05.2009 22:30

    Catarina

    Primeiro de tudo, usei "cara catarina" como muita gente usa em blogs, emails, etc. Nunca ninguém tinha levado a mal.. há sempre uma primeira vez.
    Segundo li o seu comentário com toda a atenção, não tenho paciência para quem dispara sem pensa (não foi o seu caso!), logo nunca o faço.


    1. "alegado"
    Da minha parte não reconheço que haja um problema. Não conheço nenhuma cidade europeia com mais estacionamento à superfície que Lisboa. Estacionamentos subterrâneos existem praticamente por toda a cidade.

    2. quem tem que resolver o "problema"
    Claro que são os condutores que têm que resolver! A quem cabe resolver a falta de clientes? Às empresas ou ao Estado? A quem cabe resolver a falta de tempo para férias? A falta de dinheiro para um computador novo? O botão da camisa que caiu? Não estamos a falar uma função social como educação ou saúde, estamos a falar de estacionamento.
    É caro? Claro que é. O espaço na cidade á algo caro, mas eu não estou lhe vou pedir que me ajude a pagar a renda da casa, por isso não me peça para lhe pagar a renda do estacionamento.

    3. estou a fugir totalmente ao assunto, mas enfim: adoro os seus argumentos quando defende o uso do automóvel, todos eles provocados pelo excesso de automóveis em circulação!! Enfim..

    4. diz que a caluniei (!) e que perverti o seu comentário, mas foi você que virou a coisa contra os peões. estando em causa o estacionamento no passeio, você vem falar dos "parvalhões" dos peões que não vêem os sianis e demoram a atravessar a rua.

    e é no mínimo curioso que quando me acusa de perverter o seu comentário, diz que eu pus a culpa dos peões na sua boca... mas eu por mais que releia o meu primeiro comentário não encontro isso em lado nenhum!!!!
  • Comentar:

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.

    Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

    Arquivo

    Isabel Moreira

    Ana Vidigal
    Irene Pimentel
    Miguel Vale de Almeida

    Rogério da Costa Pereira

    Rui Herbon


    Subscrever por e-mail

    A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

    Comentários recentes

    • Fazem me rir

      So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

    • Anónimo

      Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

    • Anónimo

      Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

    • Anónimo

      "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

    • Anónimo

      apos moderaçao do meu comentario reitero

    Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    14. 2018
    15. J
    16. F
    17. M
    18. A
    19. M
    20. J
    21. J
    22. A
    23. S
    24. O
    25. N
    26. D
    27. 2017
    28. J
    29. F
    30. M
    31. A
    32. M
    33. J
    34. J
    35. A
    36. S
    37. O
    38. N
    39. D
    40. 2016
    41. J
    42. F
    43. M
    44. A
    45. M
    46. J
    47. J
    48. A
    49. S
    50. O
    51. N
    52. D
    53. 2015
    54. J
    55. F
    56. M
    57. A
    58. M
    59. J
    60. J
    61. A
    62. S
    63. O
    64. N
    65. D
    66. 2014
    67. J
    68. F
    69. M
    70. A
    71. M
    72. J
    73. J
    74. A
    75. S
    76. O
    77. N
    78. D
    79. 2013
    80. J
    81. F
    82. M
    83. A
    84. M
    85. J
    86. J
    87. A
    88. S
    89. O
    90. N
    91. D
    92. 2012
    93. J
    94. F
    95. M
    96. A
    97. M
    98. J
    99. J
    100. A
    101. S
    102. O
    103. N
    104. D
    105. 2011
    106. J
    107. F
    108. M
    109. A
    110. M
    111. J
    112. J
    113. A
    114. S
    115. O
    116. N
    117. D
    118. 2010
    119. J
    120. F
    121. M
    122. A
    123. M
    124. J
    125. J
    126. A
    127. S
    128. O
    129. N
    130. D
    131. 2009
    132. J
    133. F
    134. M
    135. A
    136. M
    137. J
    138. J
    139. A
    140. S
    141. O
    142. N
    143. D
    144. 2008
    145. J
    146. F
    147. M
    148. A
    149. M
    150. J
    151. J
    152. A
    153. S
    154. O
    155. N
    156. D
    157. 2007
    158. J
    159. F
    160. M
    161. A
    162. M
    163. J
    164. J
    165. A
    166. S
    167. O
    168. N
    169. D

    Links

    blogs

    media