Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Aprender a rezar na era da técnica* deve ser...

Usar um discurso paradoxal e incongruente, repleto de paralogismos e metonímias (assim se chama formalmente o discurso usado por um mesmo autor em dois textos diferentes, escritos em dois locais distintos, aparentemente sobre o mesmo tema mas de conteúdo substancialmente diferente).

Apresentar evidências de desorientação temporal (acontece quando o "ontem" tem, na altura em que escreve, mais de 48 horas).

Manter a perda de controlo de impulsos – vulgo “saltar a tampa” - por um longo período de tempo (se bem que aqui seja possível colocar a hipótese de se estar em presença de um verdadeiro escalpe, ou melhor, de uma fractura da calote com exposição do material encefálico, sem capacidade de restituição ad integrum - e isto mesmo que a urgência mais próxima não tenha sido fechada e que nela existam neurocirurgiões).

Denotar a presença de falsas interpretações e de pensamentos delirantes (falsas crenças inabaláveis pela argumentação lógica), com base nos quais se alteram partes relevantes de um texto previamente escrito.

*O Gonçalo M. Tavares que me desculpe o plágio.

Ps: Será o respeito por pessoas cuja conduta já se tenha revelado bastante duvidosa e os métodos pouco abonatórios uma consequências da reza bem aprendida?

Adenda: Por lapso não coloquei o link que queria, e devia, ter colocado no Ps de cima. Cá fica agora.

 

 

 

16 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media