Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

É lá fora

A minha avó não ligava grande coisa aos noticiários internacionais. O mundo era, para ela, uma coisa turbulenta, confusa e distante e o facto de não saber ler nem escrever acentuava o sentimento de distância e de alheamento. "Notícia" era o que se passava em Portugal (e ainda mais o que ocorria na sua localidade, na sua vizinhança e na sua família, naturalmente). Quando via imagens de violência, de um desastre ou de um evento trágico, perguntava de imediato: "é cá ou é lá fora?". Quando sabia que "era lá fora" fazia ar de alívio e saía-lhe um "ah é lá fora".

Ontem fiquei estarrecido ao ver o noticiário da noite (na SIC, salvo erro) e lembrei-me da minha avó. Dezenas de pessoas morreram num ataque com armas químicas na Síria e a reportagem mostrava imagens de caos, gente a ser lavada com jatos de água na rua e a ser levada para o hospital; crianças em choque, jovens deitados em mesas, pessoas com máscaras, em sofrimento, com dificuldade em respirar. Senti um murro no estômago, embaciou-se-me a vista. Mas durou pouco e passou-se à notícia seguinte. É lá fora.

Ontem, hoje de manhã, procuro informações e fico de alma apertada. Capas de jornais, nada, com exceção de um pequeno retângulo no Público, e que fala de Assad. Na notícia online, os comentários são "estratégicos", sobre Assad, os ataques "aliados", o assalto a Mossul, as dúvidas sobre o meio usado no ataque, se há ou não "cratera". Na rádio, fala-se da reunião do Conselho de Segurança. Sobre as vidas e o sofrimento das pessoas, nada. São pessoas com nome e rosto e que vivem na sua localidade, têm vizinhança e famíllia? Provavelmente. Mas é lá fora.

Nós não queremos saber o que sofrem as pessoas lá fora. Queremos é que não tragam sofrimento para cá. Que se deixem lá estar, que nós somos um continente pacífico e não precisamos de importar isto. O sofrimento cá tem sempre nome próprio, rosto, família, passado, afetos e dimensão humana. Lá, são números e efeitos colaterais de um jogo estratégico no qual interessa é perceber se o Daesh está a ser derrotado ou se está a progredir. Se está a recuar, ótimo, temos é que zelar para que não se vinguem e causem sofrimento cá. Mas enquanto andarem entretidos lá entre eles (os "islâmicos" mais "radicalizados" e os outros mais "moderados"), a gente vai mudando de canal em paz.

No dia anterior vi outra peça sobre os horrores da República Centro-Africana. Uma portuguesa (presumo que de uma ONG) dizia que "nem nos apercebemos da sorte em que temos em viver num país seguro, na Europa". Momentaneamente, a RCA passou a ser "cá". Porquê? Porque está lá um contingente português, em missão de paz. Se algum dos soldados morrer, terá um nome, um rosto, uma família, um luto e uma homenagem. O resto, não. É lá fora.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media