Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

o trator de 3 rodas

Quem conhece As Farpas de Eça/Ramalho sabe do que falo: no fascículo de junho/julho de 1872 fala-se do salva-vidas. Uma lancha voltara-se na foz do Douro e 14 homens haviam morrido. O salva-vidas estava lá, tinha uma comissão atribuída e um fiscal que recebia o seu salário, mas não tinha tripulação. O texto é de uma ironia profunda e cruel: o salva-vidas como metáfora de todo um país imobilizado e apodrecido, dotado de burocracia ineficaz e inútil e incapaz de cumprir a sua função básica e elementar.

Há dias, a propósito dos celebrados sorteios da "fatura da sorte", uma notícia apareceu nos jornais, mais ou menos discreta, que respondia a uma pergunta que terá passado pela cabeça de muita gente: irá o Estado sortear os automóveis penhorados pelo fisco? A pergunta não é de todo descabida, mas a resposta, infelizmente, é dececionante. Não, provavelmente não irá. E porquê? Porque não tem nada de jeito para sortear. Nada? nada. Mais precisamente, a viatura mais valiosa que possui, obtida em penhoras, é um trator... a que falta uma roda.

Li e ri. Ora pois, se o salva-vidas é uma metáfora do Portugal de 1872, o trator de 3 rodas pode bem ser a do de 2014. Da retoma, da recuperação, da saída da crise, do crescimento anunciado e apregoado da economia, do fim do ajustamento, do milagre económico de que falou o ministro da Economia há dias. Tem uma bela cor verde, está desejoso de voltar ao serviço, de ser produtivo, de contribuir para a saída do marasmo. Terra arável também não falta. É verdade que anda a gasóleo e não a energia solar, a cortiça ou a vinho do Porto mas, e ao contrário do salva-vidas, não será difícil arranjar tripulação. Aliás, é o que não deve faltar, pelas estatísticas de mão-de-obra qualificada e desempregada. E vale 25 mil euros, que não é coisa pouca. Não é muito, mas é qualquer coisinha. Digamos que é um valor dentro das nossas possibilidades. Tem é um problema irritante: falta-lhe uma roda. Dizem os arautos da desgraça - aqueles que se recusam a ver a retoma que aí vem e que se comprazem no bota abaixo - que, sem ela, nada feito. Ah. Não liguem. O trator de 3 rodas há-de andar, funcionar, lavrar orgulhosamente os campos e garantir a saída para a crise. Devagarinho, dentro das suas possibilidades, mas certamente que sim. Ainda que, bom, esteja penhorado, mas isso é um pormenor, tal como a falta da 4ª roda. Como é que estou seguro de tudo isto? Porque, tal como no ano passado, perante a seca, a ministra da agricultura dizia "ter fé" que iria chover, hoje o ministro de estado Paulo Portas também disse "acreditar" no aumento das exportações e, portanto, "achar" que 2014 vai ser um ano de crescimento. Uma crença irrevogável, decerto. Acreditem.

2 comentários

Comentar post

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

blogs

media