Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

jugular

Só uma pincelada porque o tempo é pouco

Estive a ler na diagonal a moção que António Pinheiro Torres apresentou ao Congresso do PSD. O senhor, e os congressitas que a votaram, têm todo o direito a opinar, não podem - ou não devem - aldrabar. Onde estão os 25% de abortos de repetição? E a morte de uma mulher por aborto em 2010? De acordo com dados da DGS houve, entre 2001 e 2007 - nos 6 anos anteriores ao Referendo, portanto - "12 mortes em 92 atribuíveis a aborto. Depois disso, houve o caso de  uma morte por aborto medicamentoso. E depois de 2009 nenhuma mulher morreu em Portugal por aborto.” , isto é, entre 2007 e 2013 - nos 6 anos posteriores ao Referendo, portanto - houve uma morte (e mais mortes por parto, já agora, e não é por isso que se deixa de prestar apoio médico à gravidez).

 

Adenda: acrescento uma informação que o próprio António Pinheiro Torres deixou na caixa de comentários mas que se esqueceu de referir na moção que apresentou aos congressitas, com sublinhados meus: "Em 2010, entre as 10 mortes maternas notificadas durante a gravidez e puerpério, ocorreu uma morte na sequência de um aborto medicamentoso, por choque tóxico com Clostridium sordellii

Trata-se de uma infecção muito rara – frequência descrita de 1:100,000. Existem casos descritos após aborto
medicamentoso, aborto espontâneo e pós-parto.


O caso foi comunicado imediatamente pela unidade hospital em causa à DGS. Foi realizada autópsia médico-legal que confirmou o diagnóstico clínico e laboratorial. As normas de conduta foram observadas e estiveram de acordo com o protocolo nacional.

- Em 2009 e 2010 não se registaram mortes associadas a interrupções de gravidez fora do quadro legal."

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

blogs

media