Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

jugular

tumor

 

Não olhes para mim assim. Tenta não ocupar o meu campo de visão com essa tua gaifona de bezerro acabado de parir. Reconhece que não é coisa assim tão complicada e que é tarefa ao teu alcance. Mesmo tu serás capaz de a cumprir a contento. Não, lamento, não te odeio. Nada que merecesse sequer a pena ser escrito. Não te coles à parede quando passo, nem me peças desculpa por a tua massa ocupar espaço. Em cada palavra, até nos bons dias. Evita, isso sim, olhar para mim. Continuemos a respirar o mesmo ar contaminado. A partilhar os mesmos cheiros fétidos. Os mesmos sabores acres. A visão das mesmas pessoas. As que eu suporto e as que tu detestas. Porque eu as suporto. Não digas nada. Não te atrevas a dizer nada. Está tudo dito. E desde que a tua mísera figura se interpôs entre o destino do meu olhar. Simplesmente estava tudo errado. Mexias-te de maneira inconveniente. Vestias-te de forma descortês. O que noutra pessoa ficaria bem, em ti é uma chapada nas trombas. Andas a querer provocar-me. Está-se mesmo a ver. Nasceste para isso. Qualquer dia, levanto-me cinco minutos mais cedo e mato-te. Assim eu arranje dia para ser estragado com rotinas quebradas, que não é meu costume matar. Arrancava-te a vida do corpo. E tu havias de ser condenado por teres aparecido morto dessa forma desacostumada. Mas isso dá trabalho, teria de perder alguns minutos a pensar na coisa. Se fossem dez, passariam a ser quinze os minutos que te dedicava. E tu, perdido, está-se mesmo a ver que acabavas por morrer feliz. Perceberias, no último estertor, que te dediquei quinze minutos do meu dia. Os teus melhores, que nos outros se querem de fama. E isso está completamente errado, meu pequeno tumor reverencial. Há que reflectir. Até lá, evita apenas olhar para mim. Fecha os olhos. Havemos de pensar em algo melhor.


Arquivo

Isabel Moreira

Ana Vidigal
Irene Pimentel
Miguel Vale de Almeida

Rogério da Costa Pereira

Rui Herbon


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Posts recentes

Comentários recentes

  • Fazem me rir

    So em Portugal para condenarem um artista por uma ...

  • Anónimo

    Gostava que parasses de ter opinião pública porque...

  • Anónimo

    Inadmissível a mensagem do vídeo. Retrocedeu na hi...

  • Anónimo

    "adolescentes e pré-adolescentes pouco dados à int...

  • Anónimo

    apos moderaçao do meu comentario reitero

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

blogs

media